A mulher de virgem
Tampouco esta dá campo à intimidade; é descontraída e não necessitada do afeto , rotineira, perfeccionista, laboriosa e prolixa, às vezes em excesso, amante da ordem e do asseio; afortunadamente, ela pode se adaptar ao companheiro de matrimônio, afrouxando sua rigidez cerebral.

Pouco terna, é serviçal, dá confcrto e segurança; adora seus filhos e é capaz de todos os sacrifícios, porém será um pouco dura com eles, dada a rigidez do caráter mercuriano, o que revela que Virgem é boa administradora, e dona-de-casa quase perfeita, isso, claro, se não fosse seu exigente perfeccionismo.

O nativo de Virgem é demasiadamente dado ao raciocínio, e ele se manipula pela capacidade cerebral, e não pelo afeto e a voz do coração; tudo passa pelo peneiramento analítico de suas elocubrações cerebrais. É inflexível no seu perfeccionismo, pelo que resulta duro com seu companheiro de toda vida (se o puder ser) para que não haja oposição ou desavenças, dada sua rigorosa análise; porém, pode cooperar para facilitar as coisas.

Necessita passar metodicamente, antes do matrimônio, por uma "calculada" amizade, o que requer companhia, diálogo e interesse intelectual. Acabar com o defeito das críticas é indispensável para não sofrer e, em especial, para não fazer sofrer.

A Virginiana é perfeccionista até no beijo. Que grande qualidade ! Ela toma o maior cuidado para que a pessoa amada se sinta plenamente envolvida pela carícia de seus lábios suaves e de sua língua ávida de sensações. É um beijo intenso, molhado, delicioso. 

O homem de virgem

Agrada-lhe mostrar-se ágil e convincente nos inícios do jogo amoroso, coisa que lhe resulta fácil, por causa de seu caudal de conhecimentos, agilidade mental, correção no modo de se expressar, e das maneiras, etc.

Após um período prolongado de peripécias intelectuais e flertes, pode iniciar-se no sério idílio. Porém, quando chega o momento decisivo, Virgem se retrai, como que desconcertado, pois não pode abandonar seu campo cerebral para ingressar no terreno sentimental do coração.

Antepõe sempre o cérebro ao coração, ainda que o sexo saia perdendo; assim, não se verá nunca um virginiano como um amante apaixonado, entregue aos ardores eróticos. Necessita acabar, indispensavelmente, com o "eu" perfeccionista que faz com que a vida seja difícil para ele e seu cônjuge.

Necessita passar metodicamente, antes do matrimônio, por uma "calculada" amizade, o que requer companhia, diálogo e interesse intelectual. Acabar com o defeito das críticas é indispensável para não sofrer e, em especial, para não fazer sofrer.

O virginiano é perfeccionista até no beijo. Que grande qualidade ! Ele toma o maior cuidado para que a pessoa amada se sinta plenamente envolvida pela carícia de seus lábios suaves e de sua língua ávida de sensações. É um beijo intenso, molhado, delicioso. 

Fonte : Esoterikha